Go to Top

LUTO

Pessoas que sofrem perdas significativas como morte de alguém muito querido, diagnóstico de doença grave, traição, falência, passam pelo processo de luto.  A psiquiatra suíça, Elisabeth Kubler-Ross se dedicou a pesquisar o luto e descobriu que existem cinco fases pelas quais as pessoas acabam passando ao vivenciar seu processo de luto.

A primeira fase é denominada como fase da NEGAÇÃO: a pessoa nega a existência do acontecimento. Duvida que realmente aquele fato tenha ocorrido. Aqui, ela pode inclusive ir em busca de opiniões diversas como, por exemplo, conversar com vários médicos sobre o assunto para ver se consegue ouvir o que deseja. Ou continua se comportando como antes da perda, como se nada tivesse acontecido. Em casos de doença, é comum a pessoa não aderir ao tratamento nesta fase ou se negar a falar sobre o assunto no caso de morte ou falência.

A segunda fase é a RAIVA: a pessoa se revolta contra o fato. É comum que culpe alguém próximo e que volte sua raiva contra Deus se sentindo traída pelo acontecimento. Neste momento torna-se agressiva, recusa-se a falar sobre o assunto e se nega a ouvir conselhos.

A Terceira fase é a NEGOCIAÇÃO: a pessoa procura fazer pactos consigo mesma, como uma barganha com Deus ou uma promessa para que tudo volte a ser como antes. Estes pactos acontecem em segredo, no íntimo da cada um.

A quarta fase é a DEPRESSÃO: o sofrimento é profundo e há muita culpa, desolamento, frustração, desesperança e medo. Aqui a pessoa deseja o isolamento. É uma fase bastante delicada e perigosa em que o enlutado pode voltar-se contra a própria vida. Seu comportamento autodestrutivo somado à situação de isolar-se dos demais, pode ser um enorme risco.

A quinta e última fase é a ACEITAÇÃO: a pessoa compreende e aceita o rumo natural que a situação tomou. As emoções estão mais controladas e a pessoa pode até aceitar ajuda psicológica entendendo que precisa superar os acontecimentos e replanejar a própria vida. Aqui ela sai do isolamento e deseja compartilhar seus sentimentos. Começa a acreditar que tem condições de seguir em frente.

Importante ressaltar que o luto para cada pessoa é sentido de uma forma. Nem todos passam pelas fases de forma linear, alguns por exemplo, pulam fases, outros, se fixam em uma fase específica e outros passam de forma tranquila, chegando muito rapidamente na fase da aceitação. Depende da maturidade emocional de cada pessoa e das experiências prévias que ela carregue consigo.

Para encerrar esta matéria, compartilho uma citação de um teólogo americano chamado Reinhold Niebuhr:  “Concedei-nos Senhor, serenidade necessária, para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguirmos umas das outras.”  Desejo muita sabedoria a todos que se dedicaram a ler

http://www.jornal100porcentovida.com.br/silvia.html

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*