Go to Top

Estresse: o inimigo silencioso.

O estresse é um conjunto de respostas físicas e mentais causado por  estímulos externos que resultam em desgaste físico e mental e algumas vezes se confunde com depressão.

O termo estresse foi tomado emprestado da física para designar a tensão e o desgaste a que estão expostos os materiais.

O estresse pode ser causado pela ansiedade e pela depressão devido à mudança brusca no estilo de vida e à exposição a um determinado ambiente, que leva a pessoa a sentir uma espécie de angústia.

Principais indícios de estresse:

  • Falta de equilíbrio entre a vida pessoal e profissional
  • Dificuldades para tomar decisões
  • Problemas em cumprir prazos importantes
  • Sentir fadiga ou sono mesmo tendo dormido o suficiente
  • Baixa autoestima
  • O dia de trabalho parece não ser suficiente para realizar todas as tarefas
  • Tendência a criticar e a discutir
  • Depressão ou desestímulo
  • Falta de memória
  • Ter a constante sensação de que algo está errado ou faltando
  • Comer menos ou mais do que o usual
  • Fumar, beber ou usar drogas para poder trabalhar
  • Palpitações cardíacas irregulares
  • Respiração ofegante
  • Dores ou entraves nas costas, ombros ou pescoço
  • Pressão sangüínea anormal

Quando os sintomas de estresse persistem por um longo intervalo de tempo, pode significar que os  mecanismos de defesa naturais da pessoa passam a não responder de uma forma eficaz, aumentando assim a possibilidade de acontecerem doenças, especialmente cardiovasculares.

Importante lembrar que um certo nível de estresse é benéfico, pois estimula o corpo, melhorando sua atuação e performance; porém o estresse se torna prejudicial quando se transforma em um processo crônico e o indivíduo passa por diversas situações estressantes no dia-a-dia.

No âmbito organizacional, os resultados do estresse podem ser observados nos elevados níveis de absenteísmo, no aumento do turnover e da insatisfação, na redução da produtividade, no aumento do número de erros e acidentes de trabalho. Sua presença também pode ser diagnosticada em apatia, fadiga, ansiedade e baixa motivação da força de trabalho.

O estresse humano, que é um subproduto previsível dos conflitos de trabalho, ambigüidades modernas, pressões profissionais, recursos deficientes e contatos estressantes com pessoas , está associado a doenças, mudanças de personalidade, problemas conjugais e de relacionamento interpessoal, aposentadoria precoce, redução de desempenho no trabalho, acidentes de trabalho, críticas injustas contra a empresa e até mesmo morte precoce. Estima-se que de 60 a 80% dos acidentes de trabalho estejam relacionados ao estresse.

O estresse deve ser tratado o quanto antes para que não chegue a causar mau maior. Ele pode afastar a pessoa do trabalho por falta de motivação até mesmo para levanter da cama e enfrentar o dia. Os estressados costumam “despejar” suas crises de ira nas pessoas da família, pois lhes faltam opções acerca do que fazer com tamanha angústia. Esta reação traz mais problemas, além dos que já estão acontecendo.

Algumas atividades ajudam no controle do estresse como os exercícios físicos de baixo impacto, yoga, meditação, hobby e amigos.

Importante lembrar que a ajuda psicoterapêutica e psiquiátrica são indispensáveis.

Não subestimar o estresse é fundamental para previnir seus desdobramentos no futuro.

Silvia Barros

Psicóloga clínica

www.silviabarros.com

Tel 32941005

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *