Go to Top

Empatia

Todo mundo em algum momento já ouviu falar sobre empatia. As empresas observam de perto a capacidade de empatia de seus líderes e muitas vezes não concedem promoções pela falta desta habilidade. Um pai sem empatia é um problema, um parceiro sem empatia pode destruir um casamento. A empatia faz toda a diferença nos relacionamentos.

O termo empatia foi utilizado pela primeira vez por E.B. Titchener, psicólogo, e origina-se da palavra grega empátheia, que significa “entrar no sentimento”. Para alcançarmos este estágio é necessário deixar de lado nossos próprios pontos de vista e valores para poder entrar no mundo do outro sem julgamentos. E como isso é difícil !

E como belamente disse Jacob Levy Moreno:  “E quando estiveres perto eu arrancarei os seus olhos e os colocarei no lugar dos meus. E tu arrancará os meus olhose os colocará no lugar dos teus. Então, eu te olharei com teus olhos tu me olharás com os meus.”    Acho que esta definição é perfeita também para empatia pois exige uma disposição de se desprender de si mesmo. Empatia não significa concordar com o outro, significa apenas compreendê-lo, olhar sob o seu ponto de vista. Leorando Boff explica: “Todo ponto de vista é a vista de um ponto. Os olhos enxergam a partir de onde os pés pisam”  E é assim mesmo, nós achamos que nossa miopia explica as coisas e, sem sair da nossa zona de conforto, cheios de segurança, discurssamos aos outros nossas “verdades absolutas”.  Pessoas assim são consideradas arrogantes, prepotentes ou mesmo ignorantes pois lhes falta humildade e inteligência emocional para sair de sua visão de “umbigo” e ver além.

A vida pessoal e profissional de uma pessoa pode mesmo ficar bloqueada por sua deficiência em ser empática.  Uma pessoa mal humorada que chega em casa e desconta seu stress em sua família, não está sendo empática. Um líder que não sabe encontrar as palavras certas para influenciar seus liderados, não está sendo empático. Uma mãe que, quando sua filha a procura para desabafar, não a ouve e já inicia um tratado sobre o que é certo ou errado, não é empática, um médico que dá um resultado de exame como quem fala sobre futebol com seu vizinho, não é nada empático, um professor que chega em sala para dar aula e ignora o que está acontecendo com seu grupo de alunos, tem empatia deficiente. Enfim, a capacidade de empatia é essencial para o bem viver e desenvolvê-la é além de um cuidado consigo mesmo, uma demosntração de respeito ao próximo.

A psicoterapia ajuda a pessoa a aumentar sua inteligência emocional e sua capacidade empática.

A empatia tem sido considerada como um atributo necessário a todas as pessoas que buscam se relacionar saudavelmente e eficientemente. Muitas pessoas equivocadamente confundem “ser empático” com “ser simpático”, mas esses dois termos não são sinônimos. Simpatia pressupõe solidariedade, enquanto que a empatia pressupõe compreensão. Logo, percebemos que a pessoa simpática cria um envolvimento emocional com certa facilidade. Entretanto, a pessoa empática estabelece comunicação eficiente. Quando não se cria empatia em uma relação, seja em um relacionamento amoroso, de trabalho ou em qualquer outra forma de interação humana, pode-se dizer que não há verdadeiramente um diálogo, e sim dois monólogos ocorrendo simultaneamente.  Duas são as situações e atitudes geradoras de empatia. A primeira atitude é da pessoa que se coloca no lugar da outra. A segunda atitude empática é a da pessoa que estimula a outra a se colocar em seu lugar. No primeiro caso predomina a capacidade de entender e no segundo a capacidade de se fazer entender. As duas são igualmente importantes.

Crianças aprendem sobre empatia quando seus pais lhes ensinam. Ensinar exige tempo e dedicação, além de muita paciência. No entanto é reconfortante quando um pai presencia seu filho exercitando empatia na escola, em casa com os irmãos ou em qualquer local por onde passe. Crianças empáticas não tem preconceitos, esperam sua vez, reconhecem uma ajuda, cedem a vez, são adequadas socialmente e emocionalmente.

Silvia Barros

Psicóloga clínica

www.silviabarros.com

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *