Go to Top

Ciúme – A idéia de posse que se apossa de você.

O  ciúme é um tempero bem perigoso para as relações amorosas. Tempero que em excesso intoxica a vida das pessoas. O ciumento sofre muito porque devido a sua enorme insegurança vive em desconfiança e com a necessidade de controle. Assim, as coisas boas que poderiam acontecer na relação amorosa, desaparecem em meio às crises de ciúme.

O desejo do ciumento crônico é que o parceiro seja exclusivamente dele. Se pudesse filmar e acompanhar seu dia seria uma maravilha. Claro que não seria, mas é nisso que ele acredita.

Para os ciumentos de nada adianta que o companheiro dê provas constantes de sua fidelidade contando deta-lhadamente de como foi seu dia, com quem se encontrou e conversou. No dia seguinte, ele terá que repetir e repetir e repetir…

O ciumento se baseia em sua insegurança e não propriamente em fatos concretos. Ele tem ciúmes daquilo que acha que vê e daquilo que não vê também.

Existem níveis de ciúmes, mas os mais graves chegam a oferecer risco real de morte. Cerca de vinte por cento dos homicídios são causados por esse sentimento.

O ciumento é um verdadeiro representante do FBI dentro de casa. Procura vestígios, ouve na extensão, mexe em carteira, celular, corres-pondência e e-mails com o objetivo de encontrar alguma prova do que mais teme: a infidelidade. É como um delírio que para ele tem coerência.

O ciumento cronometra o tempo que o parceiro deveria levar do trabalho para casa ou da padaria ou do clube e, pode criar uma cena lamentável em função da desconfiança e sentir péssimo depois.

O ciumento grave tem enorme dificuldade de enxergar o outro e acredita que se o parceiro o amasse realmente, satisfaria suas expectativas como forma de amor e consideração.

O ciumento sente que seu afeto está constantemente em risco porque tem baixa autoestima e precisa de ajuda para se encontrar, se gostar, se valorizar e vencer o medo extremo de perder o outro. Sabemos que ninguém pertence a ninguém e que estar junto é uma escolha diária. Esta sensação é ameaçadora para o ciumento que precisa acreditar que o outro lhe pertence!

A psicoterapia é a melhor alternativa para vencer esse sentimento. A saúde do relacionamento depende da disposição do casal de encarar esta dificuldade e buscar a ajuda que necessita. Quem se ama entende perfeitamente porque é amado. Já quem não se gosta não consegue achar motivos para que o outro lhe seja fiel.

Silvia Barros

• Terapeuta clínica de adolescentes,adultos e casais há 20 anos

• Professora do curso de Psicologia da Faculdade Anhanguera

• Professora de ética do anglo Paulínia

• Palestrante com mais de 300 palestras no Brasil e Portugal

• Especialista e Sexualidade Humana

• Psicodramatista

• Cursa especialização em Terapia Transpessoal

• Capacita professores das redes pública e particular há vinte anos

• Tem vinte participações em programas de TV

www.silviabarros.com

Tels: 3252.1005/ 3252.6513

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *